O efeito Blockchain na publicidade e no marketing

Tecnologia deve provocar descentralização dos negócios, na medida em que elimina a figura do intermediário e dá mais segurança, agilidade e transparência às transações

Você já ouviu falar em Blockchain, certo?

Mais do que uma palavra da moda, trata-se de rede que funciona com blocos encadeados e que carregam um conteúdo junto com uma impressão digital. No caso do bitcoin, esse conteúdo é uma transação financeira, mas pode ser qualquer outra coisa – uma assinatura de contrato de compra de imóvel, por exemplo. O próximo bloco vai conter a impressão digital do anterior e mais o seu próprio conteúdo.

Com essas duas informações, ele vai gerar sua própria impressão digital. E assim por diante, bloco a bloco, formando um registro que torna inviável a adulteração dos dados. Para alterá-los, tudo teria que ser totalmente recalculado, de forma retroativa e em todas as cópias daquela cadeia, espalhadas pelos computadores da rede.

Embora se diga que o Blockchain vai acabar com intermediários, como cartórios e agentes de negócios, bancos e instituições financeiras do mundo inteiro estão estudando a adoção desta tecnologia. Ela já está sendo usada para garantir a confiança em certas operações, como negociação de contratos e transações internacionais.

No Brasil, já se discute a criação de uma rede de pagamentos rápidos que substitua parte do Sistema Brasileiro de Pagamento (SBP). Nessa nova rede, qualquer pessoa poderia transferir dinheiro para outras contas e cartões de crédito ou débito (de qualquer emissor). A operação seria simples, rápida e poderia ser efetuada a qualquer hora, incluindo fins de semana e feriados.

De maneira geral, 70% dos desenvolvedores que trabalham com essa tecnologia estão envolvidos na criação de novos negócios. Apenas 30% estão adaptando processos já existentes para obter melhorias a partir do Blockchain. Ou seja, o poder transformador e as receitas que serão geradas estão mais atrelados a novos modelos e processos do que ao ganho de eficiência no que se faz hoje.

Na área de marketing, o Blockchain deve provocar uma descentralização dos negócios, na medida em que é uma tecnologia que elimina a figura do intermediário e dá mais segurança, agilidade e transparência às transações. A crescente adoção de realidade virtual e aumentada, inteligência artificial e machine learning em estratégias e ações de marketing, aliadas ao blockchain, pode criar novos produtos e até mercados inteiros, que hoje não existem.

Em médio prazo, a tecnologia vai ajudar a estabelecer relações mais diretas e transparentes entre os players da indústria da comunicação. Protocolos previamente estabelecidos facilitarão transações e pagamentos entre marcas e produtores de conteúdo. A verificação do desempenho de campanhas será mais precisa, graças ao acesso aos dados de entrega de anúncios e de visualização de vídeos. Na verdade, será possível rastrear qualquer informação no processo, seja monetária, dados, performance ou histórico de usuários.

Três exemplos de uso de Blockchain em marketing digital:

Descentralização
A Userfeeds é uma plataforma para desenvolvimento de aplicações que criam rankings de conteúdo para uso próprio (no caso de agências) ou de terceiros (os clientes). O algoritmo gera os rankings com base na reputação do anunciante, no perfil do usuário e no valor oferecido. Graças ao sistema de tokens da plataforma, o usuário pode negociar diretamente com o anunciante e ser recompensado por visualizar publicidade daquela empresa. Uma lista de produtos no site da Amazon, ou de músicas em uma playlist no Spotify são exemplos de rankings de conteúdo. A chinesa ATMChain adota uma abordagem semelhante, na qual os usuários são recompensados ​​pela visualização de anúncios.

Compra e venda de mídia
Smart contracts são capazes de automatizar todos os aspectos da entrega e pagamento de anúncios. Na plataforma XCHNG, compradores e vendedores descrevem seus termos em um contrato inteligente. A parte responsável pelo pagamento libera o dinheiro aos publishers conforme os termos do contrato são atendidos. Os smart contracts incluem todos os elementos de uma boa ordem de inserção, em formato codificado de tal forma que seus termos são imutáveis e as operações, realizadas automaticamente.

Combate à fraude
O objetivo aqui é resolver problemas de transparência, reduzir custos e melhorar a qualidade do tráfego com a identificação de bots. A adBank construiu uma ad network dotada de inteligência artificial com habilidades de análise e implementação de medidas antifraude. O sistema de blockchain tem elementos que facilitam a transferência de valores entre anunciante e vendedor de tráfego, além de garantir transparência na verificação da performance de campanhas. É uma rede de código aberto, auditável, construída sobre a plataforma Ethereum e desenhada para ser resistente a fraudes em publicidade digital.

Aplicações no marketing e na publicidade
Eliminar intermediários e automatizar processos operacionais são dois dos principais efeitos que a adoção dessa tecnologia vai causar no setor. Profissionais de marketing e publicitários terão cada vez menos trabalho com a execução das ações e poderão se dedicar mais à parte criativa, que é o verdadeiro fator-chave para o sucesso de uma campanha de divulgação.

Baseada na opinião dos membros do seu Conselho de Agências, a revista Forbes listou 10 maneiras pelas quais o blockchain pode mudar o marketing.

Melhor segmentação – A característica de transparência do blockchain vai ajudar as marcas a construir relações de maior confiança com os consumidores

Anúncios maliciosos – Na medida em que dispositivos de bloqueio de anúncios (ad blockers) se tornam mais populares, os websites criam formas de inflar seus indicadores “angariando” criptomoedas

Solução da questão da privacidade – Ao deixar o controle sobre os próprios dados na mão dos usuários, a tecnologia vai acabar com as preocupações sobre privacidade e ainda permitirá que eles sejam recompensados por ver anúncios

Eliminação de intermediários – Startups de marketing e publicidade estão criando sistemas que conectam diretamente anunciantes e consumidores, o que vai tornar desnecessários os negociadores de mídia

Crescimento da indústria antifraude – Empresas do ramo começam a usar blockchain para detectar bots e fraudadores por meio da verificação de quem está veiculando os anúncios, como e onde

Mudança na entrega e comprovação de veiculação – A entrega de conteúdo em vídeo foi a primeira a ser afetada, e isso vai se expandir para outras áreas. Com blockchain, os produtores controlam a entrega de seus conteúdos e se certificam de que estão sendo rastreados corretamente

Marketing mais transparente – A divulgação de resultados terá que ser mais acurada, pois, com a implementação da tecnologia, cada etapa de qualquer campanha poderá ser analisada e validada

Menos influencers, porém mais qualificados – Graças ao blockchain será possível comprovar se os seguidores de um influenciador são gente de verdade ou bots. Com isso, sobrarão só os mais importantes

Publishers mais confiáveis – Plataformas como a da Ethereum tornam as transações mais transparentes, conferindo maior credibilidade aos veículos e possibilitando ao anunciante verificar de onde vem o tráfego

Resolução de problemas diversos – Vários projetos baseados em blockchain estão em desenvolvimento para solucionar questões como procedimentos de pagamento, prevenção contra fraudes, mensuração e transações entre veículos e anunciantes