DM.exco Insights: responsabilidade, transparência e Inteligência Artificial chinesa

Conferência europeia assume tom político e convoca indústria a agir com otimismo e transparência

Os números impressionantes garantem ao DM.exco – Digital Marketing Expo & Conference – o título de maior evento europeu do setor: mais de 50 mil participantes inscritos, 1.100 expositores de 40 diferentes países e 570 palestrantes debatem nesta semana, em Colônia, na Alemanha, as oportunidades de negócios criadas pela revolução digital. Com ela, surgiram boa parte das empresas presentes na feira – das gigantes do Vale do Silício às startups de Berlim.

Na área destinada à exposição, stands enormes e bem produzidos mostram robôs, experimentos baseados em Realidade Virtual e prototipagem de todos os tipos disputando espaço com salas de reuniões. O DM.exco é essencialmente um evento de negócios e a feira sempre foi o maior atrativo para quem vem até aqui.

Nos últimos três anos, a organização tem se esforçado para dar mais peso ao conteúdo da conferência. Com isso, lança temas que considera essenciais para o desenvolvimento do mercado, como o deste ano, TAKE Care. No painel de abertura do evento, o chief advisor do DM.exco, Dominik Matyka, repetiu o que havia antecipado em entrevista à GoAd: “Permaneça curioso, aja conscientemente, assuma a responsabilidade e crie experiências. Queremos passar esta mensagem para o nosso setor. Todos nós, juntos, como a comunidade digital, somos responsáveis ​​pelo que está acontecendo em nosso mercado”. Desta forma, o evento assume o tom político para compartilhar responsabilidades que devem ser de todos.

Confira 3 insights captados por nossos curadores nesta quarta-feira, 12:

TRANSPARÊNCIA
Critério para firmar negócios

O DM.exco acontece sob a luz dos AdBlockers, do debate quente sobre proteção de dados e de novas regulações, como GDPR. Nesse sentido, anunciantes de peso subiram ao palco para reforçar que relações comerciais e entre pessoas e marcas devem ser orquestradas pela transparência. Foi o que defendeu o CEO da Deutshe Telekom, Timotheus Höttges (foto). “Não considero que o conteúdo seja o rei absoluto em nosso mercado, mas sim a forma como tratamos as pessoas”, comentou, fazendo referência à expressão Content is King.

No palco principal, ele fez questão de reforçar a importância da indústria agir com responsabilidade na mesma proporção do em que assume uma postura otimista. “Em tempos tão adversos como os que vivemos, as empresas precisam assumir posturas políticas positivas, encontrando e comunicando seu propósito e transformando a vida das pessoas. Isso passa obrigatoriamente pelo design ético e transparência”, disse.

Na mesma linha, o VP global de marketing da VISA, Adrian Farina, cobrou mais clareza das plataformas digitais no que se refere ao uso de dados. Ao lado de Martin Ott, VP do Facebook para a Europa, ele criticou a falta de mecanismos para combater as fake news e disse que a distribuição gratuita de conteúdo prejudica os publishers que têm alto custo para produzi-lo. “Conteúdo bom e de qualidade precisa ser pago. Empresas de mídia e jornalismo precisam desse suporte do marketing para seguir, mas as plataformas também devem assumir parte dessa responsabilidade”, completou.

BLOCKCHAIN
Revolução teórica, mas ainda pouco prática

Que o Blockchain é revolucionário e quebra a lógica dos intermediários, viabilizando os chamados smart contracts, ninguém aqui no DM.exco duvida. Mas, assim como nos principais eventos de inovação e marketing do ano, os debates ainda giram muito em torno de conceitos e hipóteses, o que torna a compreensão por parte do mercado mais desafiadora.

Em apresentação disputada nesta quarta-feira, Alex Tapscott (foto), autor do livro The Blockchain Revolution, mostrou de que forma a tecnologia pode ser aplicada na indústria digital.

Compra e venda de mídia: smart contracts são capazes de automatizar todos os aspectos da entrega e do pagamento de anúncios. Compradores e vendedores descrevem seus termos em um contrato inteligente. A parte responsável pelo pagamento libera o dinheiro aos publishers conforme os termos do contrato são atendidos. Os smart contracts incluem todos os elementos de uma boa ordem de inserção, em formato codificado de tal forma que seus termos são imutáveis e as operações realizadas automaticamente.

Combate à fraude: o objetivo aqui é resolver problemas de transparência, reduzir custos e melhorar a qualidade do tráfego com a identificação de bots. A adBank construiu uma ad network dotada de inteligência artificial com habilidades de análise e implementação de medidas antifraude. O sistema de blockchain tem elementos que facilitam a transferência de valores entre anunciante e vendedor de tráfego, além de garantir transparência na verificação da performance de campanhas. É uma rede de código aberto, auditável, construída sobre a plataforma Ethereum e desenhada para ser resistente a fraudes em publicidade digital.

Marketing e publicidade: eliminar intermediários e automatizar processos operacionais são dois dos principais efeitos que a adoção dessa tecnologia vai causar no setor. Profissionais de marketing e publicitários terão cada vez menos trabalho com a execução das ações e poderão se dedicar mais à parte criativa, que é o verdadeiro fator-chave para o sucesso de uma campanha de divulgação.

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL
Baidu reforça potencial de segurança da tecnologia

Em linha com a convocatória do DM.exco, o VP da gigante Baidu, Alex Cheng, mostrou de que forma a Inteligência Artificial está tornando a vida mais segura na China. Ele apresentou o incrível projeto da companhia que usa AI para dar mais segurança aos motoristas. O sistema Come Safety, por meio das tecnologias de reconhecimento facial e voz, alerta motoristas que dão sinais de sono ao volante. Outro device apresentado pela Baidu ajuda viajantes na tradução simultânea.

_ _ _
No dia 25 de setembro, divulgaremos aqui no site o nosso White Paper “DM.exco Insigthts 2o18″, com as análises do evento divididas por temas e tendências.